Difícil explicar o quão encantadas ficamos com a capital da Islândia. E por isso mesmo, resolvemos dedicar um post separado à ela. Apesar de ser uma das menores capitais da Europa, Reykjavik merece pelo menos um dia e meio de atenção. Passar um tempinho por lá nos permitiu, não somente conhecer a cidade com calma, mas também decifrar tudo que ela, na prática, explica sobre o país.

Hoje, a Islândia se orgulha de ser o país com maior igualdade entre homens e mulheres, de não ter exército desde 2009, de ter uma previdência social muito avançada, de ter escolas gratuitas do primário à universidade para os islandeses, de ter água potável saindo de todas as torneiras e de ter uma veia artística forte. Impossível não se apaixonar por Reykjavik, capital que está totalmente confortável com seu tamanho e seu papel no mundo. É uma cidade calma, criativa, minimalista e muito prafrentex com um povo educado, receptivo e extremamente acolhedor.

Loft Hostel Bankastræti 7a, 101 Reykjavík

Quando fomos procurar onde ficar em Reykjavik, nossa principal exigência era que fosse um lugar com um preço mais em conta, já que tudo na Islândia é bem caro, mas que, ao mesmo tempo, fosse central e bem limpo. Acabamos ficando no Loft Hostel e ele atendeu direitinho às nossas expectativas. A localização era perfeita, do lado da rua principal do centro da cidade, o banheiro era super limpo, os quartos bem confortáveis e o preço foi bem ok pra os padrões islandeses. O mais legal do hostel é a área de convívio que fica no último andar. Tem um espaço com sofás e mesas próximo à recepção e uma varanda com lugares para se sentar, de onde você consegue ter uma bela vista do centro da cidade.

KEX Hostel Skúlagata 28 101 Reykjavík

Apesar de não termos ficado lá, arriscamos recomendar também o Kex Hostel, um albergue super cool e descolado, que antigamente era uma fábrica de biscoitos de Reykjavík. Ele tem um bar que bomba, uma localização ótima e disponibiliza quartos privados também, como se fosse um hotel mesmo. Tem um ambiente super aconchegante. Os preços são um pouquinho mais altos que os do Loft, mas deve valer muito a pena!

Rua Laugavegur 

É a rua mais movimentada da cidade, onde ficam os principais bares, restaurantes, lojas, agências, boates, hostels, etc. Caminhar por ela e por seus arredores, entre as mil casinhas coloridas, é o principal a se fazer estando em Reykjavík. Todo o centro é lindinho demais, ficamos apaixonadas.

Hallgrimskírkja

um dos pontos mais famosos da cidade é essa igreja luterana (a maior da Islândia). Ela é um símbolo de Reykjavík e é possível vê-la de muitos pontos diferente da cidade. É incrível! Para projetá-la, o arquiteto Guðjón Samúelsson se inspirou nas formações vulcânicas de basalto que podem ser vistas em tantas cachoeiras e praias islandesas. Dá pra subir no topo e ver a cidade inteira lá de cima, vale muito a pena!

Harpa Concert Hall

Outro cartão postal da cidade. É um dos principais espaços de entretenimento de lá, com filmes, concertos e shows. Vale muito a visita para conhecê-lo por fora e por dentro. Seu projeto foi inspirado nas paisagens islandesas e, principalmente, na aurora boreal. Isso fica ainda mais perceptível a noite, quando as fachada ficam iluminadas com cores que remetem à ela,  tons de verde, roxo e azul. E ainda se movimentam como se estivessem dançando, é lindo demais!

Mokka Kaffi

O Mokka é um dos primeiros cafés que surgiram na Islândia e ainda é administrado pela mesmo família que o fundou, em 1958. Dizem que até hoje um dos membros da família vai lá todo dia de manhã preparar a massa do tradicional waffle deles, que é maravilhoso! É um parada obrigatória, seja para tomar café da manhã ou fazer um lanche, comer o tradicional waffle, tomar um capuccino ou também o famoso chocolate quente.

Sandholt Bakery

A Sandholt é uma padaria artesanal maravilhosa que fica logo na rua principal. Foi uma das primeiras fundadas na cidade, em 1920, e é ainda administrada pela mesma família. Lá eles servem croissants, bolos, iogurtes, sanduíches e até alguns doces tradicionais nórdicos como kleiner, snudar ou danish. Tudo, desde o início, é feito por eles diariamente. Tanto os pães, quanto as geléias, a manteiga, o recheio dos doces, tudo mesmo. E o ambiente faz jus à cultura nórdica, super aconchegante. Adoramos!

Bæjarins Beztu Pylsur

Uma barraquinha bem simples no porto de Reykjavík que possuiu o título de melhor Hot Dog da Europa. A salsicha é de cordeiro, o que é comum por lá, com uma a mistura de cebola crua e cebola frita. Não achamos tão excepcional assim, (até gostamos mais de um famoso que comemos em Copenhagen), mas é gostoso, vale experimentar!

Geysir

A Geysir é uma marca com sede em Reykjavík que se inspira na história e no estilo de vida dos islandeses. Eles criam peças incríveis com materiais e tecidos locais. Não tem como não se apaixonar pelos tradicionais cobertores de lã. As coleções da Geysir são vendidas em várias lugares ao redor da Islândia, mas vale a pena visitar uma das quatro lojas próprias da marca que ficam na capital.

Hrím

Encontramos a Hrím por acaso em uma das vezes em que passeamos pela rua Laugavegur. A curadoria da loja é bem legal, eles vendem de tudo, desde acessórios, velas, objetos decorativos a móveis, tanto de marcas de design internacionais quanto islandesas. Compramos um quadrinho lindo da “The Dybdahl Co.” que trabalha com gravuras e estampas botânicas.

Islândia

Setembro 2017

R E Y K J A V I K

O N D E   F I C A R

O   Q U E   F A Z E R  ?

O   Q U E   C O M E R  ?

L O J A S

© 2018 - [de] Malas Por Aí 

Todos Direitos Reservados