Roteiro

Islândia

Setembro 2017

- Chegada em Reykjavik

Dia 01

Chegar do aeroporto de Keflavik até a Reykjavík é super fácil, o trajeto dura cerca de 45 minutos. Existem duas companhias que oferecem transfer de ônibus para a capital: a Airport Express e a Flybus. Ambas têm stands logo na área de desembarque do aeroporto e oferecem muitos horários de saída, em geral sincronizados com a chegada dos vôos. O preço das duas companhias é bem próximo e não é preciso reservar lugar com antecedência, só comprar ao desembarcar.

Nosso roteiro pela Islândia acabou ficando um pouco diferente dos mais convencionais. O roteiro mais comum quando se viaja para lá é completar a “Ring Road” (também conhecida como Route 1), a estrada circular que contorna o país e cobre 1,332km. O segundo roteiro mais comum é usar Reykjavik como base e conhecer somente as proximidades, como a região do Golden Circle.

Como nunca havíamos viajado sozinhas de carro, ficamos com medo de o nosso tempo ser muito curto e de não darmos conta de completar a volta toda. Por outro lado, conhecer só os arredores de Reykjavik também não era uma opção para nós. Tentamos encontrar um meio termo: resolvemos usar os 4 primeiros dias da viagem para nos aventurarmos no sul do país (linha vermelha no mapa). Depois, retornamos para Reykjavik, onde passamos somente uma noite, e na manhã seguinte partimos em direção à região oeste (linha laranja no mapa). Reservamos os últimos dois dias para explorar melhor a capital e conhecer a famosa Blue Lagoon. Então deixamos a região norte e a costa leste para uma próxima vez, como mais um motivo para voltarmos à ilha um dia

- de Reykjavik até Sellfoss - 190km

Dia 02

No segundo dia, acordamos cedo e fomos buscar o carro no primeiro horário disponibilizado pela locadora (explicamos melhor sobre o aluguel aqui). Direto da locadora, já começamos o percurso que tínhamos planejado. Fomos dirigindo de Reykjavik até o Parque Nacional de Thingvellir, depois seguimos até Geysir e, por último, visitamos a Gulfoss Falls. Esse é um roteiro super conhecido, os islandeses chamam de “Golden Circle”. Ele é feito por várias agências, então se prepare para cruzar com alguns grupos bem grandes de turistas ao longo do caminho. Mas isso definitivamente não diminui a beleza de cada um desses lugares, que são incríveis e valem demais a visita. No fim do dia, continuamos na estrada até chegarmos na cidadezinha de Selfoss, onde passamos a noite.